sexta-feira, 30 de abril de 2010

Coluna do Astolfo






Estava eu, entretido em minha navegação pelos sites de notícias quando me deparei com algo intrigante, a notícia vinha com o seguinte título: Justiça condena Clodovil, mesmo morto, a indenizar Ronaldo Ésper. Choquei!
Como são as coisas, não? Nem a morte consegue mexer com a sensibilidade das pessoas. Nem depois de morto Clodovil conseguiu se safar de um processo movido por Ronaldo Ésper por danos morais (o cara já é o dano moral em figura de gente) devido a alguma entrevista da qual eu não tomei conhecimento, enfim, Clodovil foi condenado a pagar 5 mil reais, que seria metade do que Ronaldo pediu. Será que se eu começar a andar com um gravador escondido e gravar alguém me chamando de pescoçudo eu também consigo um dinheiro?
Imaginem só, tudo bem que tem a questão do espólio do Clodo, tem os advogados agindo e tudo o mais, mas realizem a cena, como que o procurador de justiça vai entregar a intimação para o pagamento da indenização ao Clodo? Ele vai arrumar um Chico Xavier para psicografar a resposta do Clodo? Ele vai a uma seção espírita? Ainda me faço uma última pergunta, existe dinheiro no além? Devemos pesquisar sobre a cotação da moeda corrente, sabe-se lá, pode não ser real né, vai que é um tipo de moeda do além ou algo referente, nunca se sabe, esses tempos de crise, todo mundo sem dinheiro, e se a moeda do além valer mais do que a real? São muitas questões a serem esclarecidas.
O processo foi iniciado em 2005, quase resolvido em 2010 e ainda tem um processo que o Clodo, o defunto, está movendo contra Ronaldo, do além, só pode, a advogada dele deve ser médium e está psicografando mensagens secretas para poder tomar algumas decisões sobre o processo, quanto vai pedir de indenização e coisas relacionadas. A frase “ Descance em paz” nunca será válida na morte desse sujeito, ele foi-se em 2009 e nem assim o outro desistiu, e pelo visto nem o morto, ele realmente é Brasileiro, não desiste nunca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário